Eletrobras defende medidas para uso de energia

O presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, defendeu nesta sexta-feira, 28, a adoção de medidas de racionalização e eficiência no uso de energia. "Racionalização de energia nós temos que ter sempre. Isso deve ser permanente", afirmou. "O momento é de intensificar essas medidas."

ANNE WARTH, Agencia Estado

28 de março de 2014 | 14h44

Segundo o executivo, o governo tem uma meta oficial de economia de energia entre 2,8% e 3% para este ano, traçada no âmbito do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel). O programa é coordenado pelo Ministério de Minas e Energia e gerido pela Eletrobras. No ano passado, o programa atingiu um resultado de 2,5%.

De acordo com o presidente da estatal, com a adoção de medidas simples, seria possível economizar energia em indústrias e residências. O potencial de economia de energia é de 10% do consumo total, segundo o executivo, e a meta é chegar a esse porcentual em 2030. "Isso é uma meta que poderíamos atingir sem perder produção, lazer ou conforto, simplesmente utilizando energia da forma mais eficiente possível", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Eletrobrasenergiaracionalização

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.