Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Eletrobras reafirma interesse na EDP e quer ser sócia ativa

A Eletrobras reafirmou nesta terça-feira seu interesse em comprar uma participação na Energias de Portugal (EDP) que será colocada à venda por Lisboa, e enfatizou que se entrar no capital da empresa, será uma sócia com participação ativa na gestão.

REUTERS

20 de setembro de 2011 | 16h48

"Não queremos ser na EDP só investidor ou acionista, queremos ter poderes no Conselho, na Administração e tudo mais. Eles são os maiores em (energia) eólica na península Ibérica, tem eólica nos Estados Unidos e queremos ser o maior (produtor) limpo de energia do mundo em 2020", disse o diretor financeiro da Eletrobras, Armando Casado.

Conforme o executivo, isso seria uma pré-condição para que a estatal brasileira compre uma fatia na EDP.

"Portugal vai lançar o edital e a Eletrobras tem interesse", afirmou Casado em evento da Pricewaterhouse Coopers.

Nesta semana, o presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, está em Portugal em busca de mais informações sobre o leilão da fatia do governo português de 20 por cento na EDP. "O presidente está lá olhando essas questões envolvendo o leilão", frisou Casado.

Ele afirmou que só com a divulgação do edital de venda é que a estratégia da estatal brasileira será definida e reiterou que a Eletrobras precisará de um agente financeiro, que poderia ser o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

URUGUAI

A Eletrobras mapeou, segundo Casado, um grande potencial de expansão da estatal na América Latina.

Os estudos apontam para um potencial hídrico a ser explorado na região de 18.300 megawatts e 5.100 quilômetros em linhas de transmissão

"Nossa prioridade é explorar e operar negócios nas Américas. Tem muita sinergia, potencial hídrico inexplorado, capacidade de intercâmbio entre países e muito mais", acrescentou, ao citar estudos de viabilidade no Peru, Panamá e Argentina.

Um dos alvos pode ser o desenvolvimento do mercado de geração eólica do Uruguai com a empresa local Enel.

Segundo Casado, o primeiro passo está sendo dado na direção da construção de uma linha de transmissão ligando Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, a uma cidade uruguaia. A linha começará a operar em janeiro de 2012.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAELETROBRASEDP*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.