Eletronuclear estima licitar R$2 bi este ano

A Eletronuclear prevê assinar até o final deste ano contratos no valor de 2 bilhões de reais com fornecedores nacionais para a construção da usina nuclear Angra 3, informou a subsidiária da Eletrobras nesta quarta-feira.

REUTERS

29 de setembro de 2010 | 17h38

Segundo a empresa, já foram publicados editais para serviços de engenharia eletromecânica e civil e para o suporte ao gerenciamento e à implantação, no valor de 550 milhões de reais.

Estão também sendo preparados outros editais de serviços com previsão de publicação no final de outubro, no valor de 1,4 bilhão de reais, informou a companhia.

Para concluir Angra 3, a Eletronuclear estima que ainda deverá gastar cerca de 9 bilhões de reais, sendo 30 por cento desse total referente a compras internacionais que terão financiamento externo.

"Essa dívida será paga com a energia produzida e não vai depender de recursos governamentais", segundo a assessoria da Eletronuclear.

A previsão é de que a usina, que terá capacidade para gerar 1.350 megawatts, entre em operação comercial no final de 2015.

De acordo com a Eletronuclear já foram renegociados 27 contratos com fornecedores nacionais, entre eles Confab, Bardella e EBSE (tubos de grandes diâmetros). Essas empresas haviam assinado com o governo brasileiro na década dos anos 1980, mas o projeto da unidade não saiu do papel.

(Por Denise Luna)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAANGRATRES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.