Em NY, bolsa fecha em alta após Bernanke reafirmar juro baixo

O índice Dow Jones subiu 91,75 pontos (0,89%) e fechou com 10.374,16 pontos; Nasdaq avançou 22,46 pontos (1,01%), para 2.235,90 pontos.

Suzi Katzumata, da Agência Estado,

24 de fevereiro de 2010 | 19h19

Os principais índices de ações do mercado norte-americano fecharam em alta nesta quarta-feira, 24, depois que o presidente do Federal Reserve (Fed), Ben Bernanke, reafirmou que o banco central vai manter o juro baixo no futuro previsível.

 

As ações financeiras começaram a subir logo depois que Bernanke iniciou seu discurso e afirmou que o Fed pretende manter sua meta para a taxa dos 'Fed Funds' perto de zero por vários meses. Em resposta a perguntas de deputados, Bernanke também alertou que qualquer imposto bancário deve ser cuidadosamente planejado tendo os mercado em mente.

 

Bank of America subiu 2,45% e JPMorgan avançou 2,43%, ambos beneficiados pelos informes de que importantes senadores americanos planejam se opor à "Regra Volcker", que vai proibir os bancos comerciais de fazerem algumas operações de maior risco com seu próprio capital.

 

Os investidores disseram que o reconhecimento de Bernanke dos obstáculos ao crescimento econômico, incluindo desemprego elevado, reduziu as preocupações de que um aperto monetário pudesse ser iminente. "Eles precisam ver parte da folga na economia ser absorvida e estamos muito longo disso", disse Channing Smith, gerente de carteira da Capital Advisors. "A mensagem de Bernanke foi para comunicar aos mercados financeiros que o Federal Reserve tem uma estratégia de saída bem planejada que será ordenada", acrescentou.

 

Os ADRs da Toyota Motor subiram 3,89% em um dia que seu executivo-chefe Akio Toyoda pediu desculpas diante de um comitê de Congresso pelo recente recall dos veículos produzidos pela montadora japonesa. Ele também disse que estava confiante de que não existem problemas com o design do sistema eletrônico do acelerador de seus veículos.

 

Entre outras blue chips, as ações da Walt Disney subiram 1,52% depois de anunciar uma profunda reestruturação na sua unidade ABC News, incluindo planos para reduzir sua força de trabalho entre 300 e 400 vagas até o final do ano.

 

O setor de construção ficou fora do movimento de alta por causa do inesperado declínio de 11,2% no número de vendas de imóveis residenciais novos em janeiro, para uma taxa anual sazonalmente ajustada de 309 mil - menor nível registrado desde o início da série, em 1963. As ações da construtora de residências de lucro Toll Brothers caíram 0,85%, enquanto as da D.R. Horton fecharam em baixa de 1,91%.

 

O índice Dow Jones subiu 91,75 pontos (0,89%) e fechou com 10.374,16 pontos. O Nasdaq avançou 22,46 pontos (1,01%) e fechou com 2.235,90 pontos. O S&P-500 subiu 10,64 pontos (0,97%) e fechou com 1.105,24 pontos. Na New York Stock Exchange (Nyse), o volume 1,008 bilhão de ações negociadas, de 1,080 bilhão de ações ontem. No Nasdaq, o volume somou 2,058 bilhões de ações negociadas, de 2,157 bilhões de ações ontem; 1.673 ações subiram e 1.006 ações caíram. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUA, Bolsa, Bernanke

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.