Eve Air Mobility
Eve Air Mobility

Embraer recebe encomenda de 100 'carros voadores' de operadora global de helicópteros

Entrega das aeronaves para a Bristow deve começar em 2026; ações da companhia brasileira têm forte alta depois do anúncio

Luana Pavani e Niviane Magalhães, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2021 | 08h55
Atualizado 23 de setembro de 2021 | 23h53

A Embraer, por meio de sua empresa Eve Urban Air Mobility, recebeu encomenda de até 100 "carros voadores" da operadora global de helicópteros Bristow, com quem assinou acordo para atuarem no desenvolvimento de um certificado de operador aéreo para sua aeronave elétrica de pouso e decolagem vertical (eVTOL). 

De acordo com comunicado, o memorando de entendimento visa a desenvolver um modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana (UAM), com a entrega das aeronaves prevista para começar em 2026. 

As ações da Embraer disparam hoje na B3, a Bolsa paulista, depois do anúncio do acordo. Ao fim do dia, o papel subiu mais de 12%, liderando as altas do Ibovespa. Além do contrato, contou a favor da fabricante o bom humor geral com o setor de aviação e turismo, que também se refletiu em fortes valorizações das companhias aéreas Gol e Azul no dia. 

"A Embraer vem se recuperando de maneira célere desde o seu período mais negativo atingido durante 2020. Diversas parcerias têm sido anunciadas, com destaque para a Eve, que tem se posicionado com um dos principais players globais no desenvolvimento de aeronaves elétricas de pouso e decolagem vertical para mobilidade urbana", aponta Luis Sales, analista da Guide Investimentos.

Para Ilan Arbertman, analista da Ativa Investimentos, a parceria com a Bristow é "estratégica pela capacidade do parceiro, mundialmente conhecido pelo fornecimento de serviços periféricos à aviação bem como no oferecimento de voos avulsos, motivando assim a recepção positiva da notícia por parte do mercado".

O acordo prevê, além da entrega dos "carros voadores", design de vertiportos, desenvolvimento regulatório para o ambiente operacional e certificação do eVTOL com operação autônoma. Não foi informado o valor do negócio.

"Esse memorando de entendimento estratégico prevê o desenvolvimento contínuo de um modelo abrangente de UAM entre Bristow e Eve para um eVTOL que pode, potencialmente, remodelar o mercado para todos os voos verticais elétricos com emissões de zero carbono e custos operacionais mais baixos", disse o presidente e diretor executivo da Bristow, Chris Bradshaw, na nota divulgada pela Embraer. 

Tudo o que sabemos sobre:
Embraercarro voadormobilidade urbana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.