Embraer descarta reduzir produção de jatos como Bombardier

A crise que está atingindo principalmente os Estados Unidos e a Europa preocupa, mas a fabricante brasileira de jatos Embraer não está vendo sinais de que isso possa afetar a carteira de pedidos da companhia.

REUTERS

21 de setembro de 2011 | 13h41

A Embraer descarta a possibilidade de reduzir a produção em 2012, segundo o vice-presidente de aviação comercial da fabricante, Paulo Cesar de Souza e Silva.

Na terça-feira, a rival mais próxima da Embraer, a canadense Bombardier, anunciou que diminuirá a fabricação de jatos regionais modelo CRJ a partir de janeiro do ano que vem.

"Não temos necessidade de ter planos de reduzir a produção", disse o vice-presidente da Embraer após evento de entrega de um avião Embraer 190 à Alitalia, em São Jose dos Campos (SP).

"Não estamos vendo sinais (de queda de demanda). A demanda da aviação continua boa."

As ações da Embraer avançavam 6,62 por cento às 13h32, cotadas a 12,08 reais, contra alta de 1,41 por cento do Ibovespa no mesmo horário.

O executivo da Embraer afirmou ainda que em 2012 a Embraer deve ter volume maior "ou pelo menos manter" as entregas de jatos comerciais na comparação com 2011. Para este ano, a estimativa é de entregas de cerca de 100 aeronaves a companhias aéreas.

(Por Carolina Marcondes)

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASEMBRAERATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.