Embraer diz que concordata da JAL pode elevar vendas

A Embraer acredita que a concordata da Japan Airlines (JAL) possa levar a um aumento do número de aeronaves Embraer 170 na frota da companhia aérea japonesa, disse o principal executivo da fabricante de aviões brasileira nesta segunda-feira.

ROBERTO CARLOS DOS SANTOS, Agencia Estado

02 de fevereiro de 2010 | 06h47

?Embora, evidentemente, a situação da empresa em concordata seja uma questão que preocupa a todos, estamos muito confiantes de que a Japan Airlines vai se recuperar e que o 170 pode ter um forte aumento de participação em sua frota?, afirmou o diretor-presidente da Embraer, Frederico Curado, durante entrevista à CNBC.

"Aviões de 76 assentos decolando de Haneda são ideais para as rotas que, atualmente, estão sendo feitas com aeronaves muito maiores com assentos vazios pela falta de demanda?, afirmou o executivo.

Indagado se a empresa tem planos de competir com a Boeing ou a Airbus no segmento de aeronaves com mais de 120 lugares, Curado disse que a Embraer ainda teria que passar por um desenvolvimento tecnológico que lhe permita introduzir uma aeronave ?muito melhor que os 737 (e A320) existentes?. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
Embraer, falência, Japan Airlines

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.