Divulgação
Divulgação

Embraer e Boeing ampliam parceria em avião militar

Aeronave KC-390 será fabricada pela brasileira e terá apoio de serviços e comercialização da gigante americana

O Estado de S.Paulo

12 Julho 2016 | 05h00

A brasileira Embraer e a americana Boeing anunciaram nesta segunda-feira, 11, durante a feira Farnborough Airshow, no Reino Unido, a extensão da parceria relativa ao avião KC-390, anunciada em 2012. O avião, que será produzido pela Embraer, agora terá não só comercialização realizada pela Boeing, mas também serviços de apoio e manutenção. A intenção da parceria com a Boeing, segundo a Embraer, é melhorar os serviços prestados com a ajuda do alcance global da concorrente.

O KC-390 é uma aeronave de transporte militar e reabastecimento aéreo que tem dois principais diferenciais: o custo menor de manutenção e um maior ciclo de vida. O equipamento é capaz de realizar missões como transporte e lançamento de cargas e tropas, busca e resgate e combate a incêndios florestais.

O avião é um projeto da Força Aérea Brasileira (FAB), que contratou a Embraer para desenvolver a aeronave. O protótipo fez o primeiro voo em fevereiro de 2015 e outros dois estão atualmente em fase de testes. A expectativa é que o modelo receba certificação no ano que vem. A expectativa é que as entregas comecem em 2018.

Vendas. A Embraer também anunciou novos pedidos de venda de aeronaves. Entre pedidos firmes, opções e intenções de compra, o valor é de US$ 1,48 bilhão, em valor de tabela.

A direção da companhia brasileira anunciou que a indonésia Kalstar assinou contrato para cinco aeronaves modelo 190 versão E2, atualmente em desenvolvimento. O pedido prevê ainda a opção de compra de outras cinco unidades do mesmo modelo. Se forem confirmadas as opções, o pedido somará US$ 582 milhões, segundo valor de tabela. O negócio será incluído na carteira de pedidos do terceiro trimestre.

Outra compra veio da Nordic Aviation Capital que assinou pedido firme de quatro modelos 190 da atual versão, em negócio de US$ 199 milhões. O pedido entra no segundo trimestre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.