Embraer está confiante sobre metas de lucro após 1º semestre sólido

O aumento nas entregas de jatos comerciais e o câmbio mais favorável ajudaram a Embraer a superar as previsões de analistas

BRAD HAYNES, REUTERS

31 de julho de 2014 | 15h31

A Embraer vê risco pequeno de não alcançar suas metas de performance neste ano após um lucro forte no segundo trimestre e uma perspectiva sólida para o fim do ano, afirmaram executivos nesta quinta-feira.

O aumento nas entregas de jatos comerciais e o câmbio mais favorável ajudaram a Embraer a superar as previsões de analistas e entregar resultado operacional em linha com as estimativas oficiais durante o primeiro semestre, quando sua performance tradicionalmente é mais fraca.

"Não vemos muito risco de baixa (para as metas de lucro)... Pode haver algum potencial de alta", disse o presidente-executivo da fabricante de aeronaves, Frederico Curado, a analistas em teleconferência para comentar o resultado. "Temos um ano mais equilibrado, por isso não revisamos nosso guidance para cima".

Curado disse estar trabalhando duro para distribuir as entregas pelo calendário e evitar uma corrida no fim do ano para atingir as metas.

Analistas concordaram que a Embraer não terá problemas para atingir suas próprias estimativas, que o analista Joseph Nadal, da JPMorgan Securities, descreveu como "bastante conservadoras".

Mais cedo, a Embraer divulgou lucro líquido atribuível aos acionistas de 143 milhões de dólares, acima da estimativa média de analistas de 116 milhões de dólares, segundo pesquisa Reuters.

Em reais, o lucro líquido foi de 319,8 milhões de abril a junho, contra resultado negativo de 9,9 milhões de reais no mesmo período de 2013, quando o câmbio elevou sua despesa com impostos.

A fabricante de aeronaves divulgou no mês passado que entregou 29 E-Jets para companhias aéreas no segundo trimestre, ante 22 aviões um ano antes. Os jatos regionais cederam algum espaço no portfólio da Embraer para a aviação executiva e para a área de defesa, mas ainda contribuem para mais da metade de sua receita.

Uma onda de encomendas por jatos regionais dos Estados Unidos no ano passado ajudou a manter a produção do E-Jet da Embraer estável. Curado afirmou que a forte recepção do E-175 por companhias aéreas dos EUA até o momento sugere que algumas delas farão novas encomendas no ano que vem.

Esses grandes pedidos de companhias aéreas menores pressionaram as margens de lucro brutas, mas o controle das despesas administrativas manteve os resultados operacionais em linha com as metas para 2014 até o momento.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da Embraer ficou em 582,9 milhões de reais, avanço de 36,5 por cento na comparação anual. Em dólares, o Ebitda totalizou 261 milhões, acima da estimativa média de analistas de 238 milhões de dólares.

O lucro líquido da Embraer foi beneficiado pela queda da despesa com imposto de renda e contribuição social, que havia sido elevada no ano anterior pelo efeito cambial. No segundo trimestre, a linha somou 93,5 milhões de reais, ante 236,6 milhões um ano antes.

(Reportagem adicional de Guillermo Parra-Bernal)

Tudo o que sabemos sobre:
AVIACAOEMBRAERRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.