Pascal Rossignol/REUTERS
Pascal Rossignol/REUTERS

Embraer não confirma parceria para vendas do cargueiro KC-390

Empresa afirma ser prematuro antecipar termos e condições de uma joint-venture para as vendas do cargueiro KC-390, inclusive se a operação ocorrerá

Luana Pavani, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2018 | 09h59

A Embraer afirma ser prematuro antecipar os termos e as condições de uma possível joint venture específica com a Boeing para as vendas do cargueiro KC-390, inclusive se essa operação ocorrerá.

"O tema, em conjunto com a combinação de negócios na aviação comercial, vem sendo objeto de discussão em paralelo, sendo prematuro antecipar os termos e condições dessa outra e mais específica joint venture potencial, inclusive sua localização e participação acionária da Embraer e, até mesmo, se ela virá efetivamente a concretizar-se", afirma a companhia em reposta a questionamentos feitos pela B3 sobre notícia publicada pelo jornal Valor Econômico sobre a joint, na qual a brasileira seria controladora, e a intenção de instalar uma linha de montagem nos Estados Unidos para o KC-390 - informações estas também apuradas pelo Estadão.

A Embraer frisa que as negociações com a Boeing vêm avançando, mas ainda não existem novos documentos. O memorando de entendimentos de caráter preliminar e não-vinculante com a Boeing para uma potencial combinação de negócios no setor de aviação comercial "prevê a possibilidade de outra joint venture específica para o aumento das vendas do cargueiro KC-390 e oportunidades pós-vendas, através de esforços conjuntos na área de vendas, marketing, engenharia e colaboração industrial."

Ainda de acordo com o comunicado, não é possível comentar no momento o impacto dessa eventual joint venture sobre as vendas do cargueiro ou sobre os resultados da Embraer.

Mais conteúdo sobre:
Embraer Boeing

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.