Embraer prevê entregar 975 jatos regionais na China até 2030

Relatório indica que a aviação mundial mostrou sinais de recuperação em 2010

Agência Estado,

21 de setembro de 2011 | 11h25

A Embraer anunciou suas estimativas para o mercado de aviação regional chinês para o período 2011-2030, prevendo a entrega de 975 novos jatos regionais para os próximos 20 anos: 15 com 30 a 60 assentos, 440 com 61 a 90 assentos e 520 com 91 a 120 assentos, o que representa cerca de 13% da demanda global. As estimativas foram anunciadas em entrevista com a imprensa realizada hoje em Pequim, no primeiro dia da 14ª Exposição de Aviação de Beijing, que acontece de 21 a 24 de setembro.

O relatório indica que a aviação mundial mostrou sinais de recuperação em 2010, após a crise econômica de 2008, com a China se destacando como um dos mercados de transporte aéreo mais importantes e com crescimento mais rápido.

"A China possui uma das economias que mais cresce no mundo, o que estimula o forte desenvolvimento do mercado de aviação. Após mais de dez anos de dedicação, a Embraer é hoje o maior fornecedor de aeronaves de até 120 assentos neste país", afirmou o presidente da Embraer China, Guan Dongyuan, em comunicado.

O estudo traz ainda uma análise detalhada de como a aviação regional transformará a economia e a conectividade da Região Autônoma de Xinjiang Uyghur, onde dois operadores chineses de E-Jets utilizam frotas com aeronaves Embraer 190, demonstrando a capacidade dos E-Jets de explorar o enorme potencial desta região, que poderá ser um marco no desenvolvimento do transporte aéreo em outras regiões da China.

De acordo com a empresa, "as companhias aéreas na China já reconheceram o sucesso das aeronaves comerciais da Embraer". "No primeiro semestre de 2011, a Embraer deu as boas-vindas a duas companhias aéreas chinesas como clientes de E-Jets: a China Southern Airlines e a Hebei Airlines."

Desde a entrega da primeira aeronave neste mercado, em 2000, a Embraer já entregou cerca de 90 jatos comerciais para a região, o que representa mais de 70% das aeronaves com até 120 assentos do mercado chinês.

Veja aqui o relatório completo denominado Embraer China Market Outlook 2011-2030 .

Tudo o que sabemos sobre:
Embraeraviação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.