Ricardo Beccari/EMBRAER
Ricardo Beccari/EMBRAER

Embraer reitera que não há definição de estrutura em negócio com Boeing

Posicionamento veio em resposta à notícia de que a empresa americana ficaria com participação de 51% da nova companhia de jatos comerciais e a Embraer com 49%

Luana Pavani, O Estado de S.Paulo

27 Fevereiro 2018 | 21h06

A Embraer voltou a dizer nesta terça-feira, 27, que avalia possibilidade de negócio com a Boeing, mas que até o momento não há definição sobre a estrutura nem os porcentuais de participação para cada parte na eventual combinação.

O posicionamento veio em resposta à notícia veiculada em 25/02 do jornal O Globo, de que a empresa americana ficaria com participação de 51% da nova companhia de jatos comerciais e a Embraer, com 49%, o que teria sido uma exigência do governo brasileiro.

+ União com Embraer não é ‘essencial’, diz CEO da Boeing

A Embraer lembra que há um grupo de trabalho formado pelas partes e também com participação do governo brasileiro. "A Embraer reitera que não há garantia de que a referida combinação de negócios venha a se concretizar. Quando e se definida a estrutura para combinação de negócios, sua eventual implementação estará sujeita à aprovação não somente do Governo Brasileiro, mas também dos órgãos reguladores nacionais e internacionais e dos órgãos societários das duas companhias", diz, no comunicado de resposta ao ofício da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

+ Embraer/Boeing, comércio e geopolítica

Mais conteúdo sobre:
EmbraerBoeingDefesa Nacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.