Embraer tem lucro 36% menor no 1º trimestre, a R$ 111,2 milhões

Um ano antes, a companhia havia registrado um ganho de R$ 174,3 milhões

Agência Estado,

26 de abril de 2012 | 19h25

SÃO PAULO - A Embraer registrou lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 111,2 milhões no primeiro trimestre, o que representa queda de 36,2% ante o lucro de R$ 174,3 milhões contabilizado no mesmo período do ano passado.

Conforme comunicado divulgado pela companhia nesta noite de quinta-feira, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) totalizou R$ 263,8 milhões entre janeiro e março, alta de 1,5% sobre os R$ 259,8 milhões do primeiro trimestre de 2011. A margem Ebitda caiu de 14,8% para 12,9% na mesma comparação. A receita líquida aumentou 16,6%, passando de R$ 1,756 bilhão para R$ 2,049 bilhões.

O lucro líquido da Embraer ficou 21,13% abaixo da estimativa dos analistas consultados pela Agência Estado. A cifra somou US$ 62,7 milhões, diante de uma previsão de US$ 79,50 milhões, segundo a média do Bradesco, Goldman Sachs, JP Morgan, Morgan Stanley e Raymond James.

Os estoques da Embraer aumentaram 12,61% no primeiro trimestre deste ano em relação ao final do ano passado e totalizaram R$ 4,842 bilhões. Segundo a companhia, isso se deu em razão do maior número esperado de entregas de aeronaves nos próximos trimestres deste ano.

O saldo do contas a receber de clientes líquidas se manteve praticamente estável em R$ 910,4 milhões - a variação com o quarto trimestre do ano passado foi de um recuo de 4%.

Por outro lado, a conta referente aos fornecedores sofreu um aumento de R$ 171,7 milhões, atingindo R$ 1,728,4 bilhão no período. Na avaliação da Embraer, isso compensou parcialmente o aumento dos estoques, reduzindo o impacto na necessidade de capital de giro.

A conta adiantamentos de clientes aumentou em R$ 15,4 milhões e alcançou no final do período R$ 2,023 bilhões.

O imobilizado totalizou R$ 2,651 bilhões e a conta financiamento a clientes totalizou R$ 204,0 milhões, desempenho estável em relação ao último trimestre do ano passado. Já o intangível aumentou em R$ 34,5 milhões, o que representou um crescimento de 2,28%, por conta dos custos de desenvolvimento de produto, em especial os programas Legacy 450 & 500, e totalizou R$ 1,551 bilhão ao final do período.

Concorrência

A Embraer ainda acredita ter chances de vencer a concorrência da qual participou no ano passado, e sagrou-se vitoriosa mas depois teve o contrato suspenso, na Força Aérea dos Estados Unidos.

"Esperamos o anúncio de uma nova decisão para 2013", afirmou a empresa. Segundo a companhia, um novo processo de compra é esperado para ser emitido pelo governo americano no segundo trimestre deste ano.

A concorrência refere-se à compra de 20 aviões de combate leve para uso no Afeganistão, um contrato de US$ 355 milhões, que pode com o tempo ser ampliado.

Em dezembro do ano passado, a Embraer e sua parceira americana Sierra Nevada Corporation foram consideradas vitoriosas na licitação, com o avião Super Tucano, mas a decisão foi suspensa em janeiro e anulada em março, sob o argumento de que havia problemas com a documentação.

O recuo do governo americano em conceder o contrato a uma empresa brasileira, em ano eleitoral, se deu sob pressão da americana Hawker Beechcraft, que havia sido desclassificada da disputa, devido às condições técnicas de sua aeronave,

A Embraer ameaça desistir da concorrência caso o processo recomece do zero ou as exigências para participar da disputa sejam alteradas, beneficiando a Hawker Beechcraft.

Tudo o que sabemos sobre:
Embraerbalanço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.