Divulgação
Divulgação

Empreendedores buscam capacitação em negócios online

Gestão de comércio na internet demanda práticas diferentes das usadas nas lojas físicas

BRUNO DE OLIVEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO DE S. PAULO

16 de janeiro de 2015 | 07h22

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

Ainda que o setor de comércio eletrônico seja um dos mais aquecidos entre as micro e pequenas empresas, com expectativa de crescimento de 20% nos próximos cinco anos, o mercado segue sendo explorado pela metade no Brasil, o que representa mais oportunidades para os empreendedores.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Isso acontece porque muitos empresários que buscam investir nesta área não têm a capacitação necessária para administrar um modelo de negócio que é novo e exige processos distintos daqueles usados em lojas físicas.

Para Giulliano Antonelli Marcos, consultor do Sebrae-SP, muitos empreendedores interessados em atuar com negócios online têm percebido este cenário e procurado por mais informações sobre como saber diferenciar o negócio que já possuem no mundo real do que pretendem criar no virtual.

"Existem muitos empreendedores que pretendem expandir as vendas de seus produtos por meio de um canal na internet. Diferente do negócio que já nasce virtual, este empreendedor já possui uma loja física e ele leva os mesmos processos de gestão para a plataforma de e-commerce, um erro grave pois existem diferenças", explica o consultor.

"Parte dos empreendedores está em busca de exemplos práticos de como conseguir atuar na internet, saber como funciona a gestão por trás da plataforma de e-commerce e isso é positivo", completa.

O consultor sinaliza para o aumento do interesse dos empreendedores com base no interesse pelo assunto durante a organização da Feira do Empreendedor, evento do Sebrae-SP que será realizado em fevereiro deste ano, em São Paulo. "O espaço dedicado ao assunto foi o mais procurado por empresas que querem se aproximar deste público, bem como de empreendedores que desejam ter acesso ao conteúdo de nossas palestras", disse.

Separar a gestão da loja física para a virtual é considerada a principal prática neste processo de migração de uma loja para a internet. A empresa precisa ter alguém dedicado à loja virtual para cuidar de publicidade, administração dos produtos e acessos de usuários.

Segundo Hyrla Marianna Oliveira, coordenadora nacional do Sebrae em comércio eletrônico e parceira da Câmara-e.net, caso a empresa não tenha recursos para isso hoje existem agências que prestam este tipo de serviço e atuam como uma espécie de equipe terceirizada junto ao empreendedor.

Entre as soluções oferecidas por elas estão o desenvolvimento dos marketplaces, ambientes de e-commerce que congregam várias marcas em uma mesma plataforma de vendas e as agências digitais especialistas na gestão de negócios online.

"Para negócios que estão começando do zero, sai mais barato usar a estrutura de outra empresa, e pagar por isso, do que manter tudo dentro da empresa", diz Hyrla.

SERVIÇO

Feira do Empreendedor

Local: Pavilhão Anhembi Parque

Endereço: Avenida Olavo Fontoura, 1209 - Santana, São Paulo/SP

Data: de 7 a 10 de fevereiro

Sábado a terça-feira: das 10h às 21h

Tudo o que sabemos sobre:
SebraeEmpreendedorismoNegócios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.