Emprego com carteira assinada cresceu 0,6% em abril

Segundo Dieese e Seade, do total de 19,532 milhões de ocupados em abril, 9,497 milhões trabalhavam com carteira assinada

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

25 de maio de 2011 | 12h26

Do total de 19,532 milhões de ocupados em abril nas sete regiões metropolitanas pesquisas pelo Seade/Dieese, 9,497 milhões trabalhavam com carteira assinada. Esse contingente representa um crescimento de 0,6% na comparação com março. Nesse período, foram contratados 53 mil trabalhadores com carteira assinada. Sobre abril de 2010, o crescimento dos empregados com carteira assinada foi de 5,6%, o que significou a contratação de 505 mil trabalhadores.

Em contrapartida, o número de trabalhadores sem carteira assinada caiu de 1,900 milhão em março para 1,896 milhão em abril, redução de 0,2%. Em relação a abril de 2010, houve queda de 1,3%.

De acordo com o coordenador de Análise do Seade, Alexandre Loloian, o aumento do número de trabalhadores com carteira assinada deve-se ao elevado volume de investimentos feito na economia.

Loloian destacou o crescimento de 1,3% no nível de ocupação na região metropolitana do Recife, o maior resultado entre as metrópoles  pesquisadas. Ele lembrou que Recife vem recebendo grandes investimentos em infraestrutura, especialmente na região do Porto de Suape. "Além de empresas do segmento de petróleo, muitas outras estão se mudando para lá em razão de facilidades alfandegárias", afirmou. 

Abertura de vagas

O setor de serviços liderou em abril o processo de abertura de vagas de trabalho nas sete regiões metropolitanas pesquisas pelo Seade/Dieese. Foram 114 mil vagas, o que representou crescimento de 1,1% sobre março. Na comparação com abril de 2010, houve avanço de 4,6% nas contratações do setor. Em abril, o total de trabalhadores empregados no setor era de 10,605 milhões.

A construção civil abriu no mês passado 23 mil vagas, crescimento de 1,8% sobre março. Na comparação com abril de 2010, o setor contratou 3% a mais. Com isso, o número de empregados na construção, de acordo com o Seade/Dieese, atingiu 1,279 milhão.

A indústria fechou 31 mil postos de trabalho em abril, redução de 1% em relação a março. Na comparação com abril do ano passado, houve crescimento de 1,2%.

O comércio fechou 30 mil vagas, queda de 0,9% em relação a março. Ante abril de 2010, a queda foi de 0,3%.

O segmento chamado de outros serviços, que inclui os trabalhadores domésticos, contratou 0,1% a mais em relação a março, mas encolheu 6,2% em relação a abril de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
Dieeseempregocarteira assinada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.