Empresa de Eike Batista consegue licença no Chile para porto

Empreendimento fica ao lado do terreno onde será instalada usina com capacidade para 2.100 megawatts

estadao.com.br,

21 de dezembro de 2009 | 12h04

A OMX, empresa do grupo EBX no Chile, recebeu do governo chileno a concessão marítima para o desenvolvimento de um porto no município de Copiapó, ao lado do terreno onde será instalada a UTE Castilla, com capacidade para gerar 2.100 megawatts.

Segundo comunicado da MPX ao mercado --braço de energia do grupo EBX, do empresário Eike Batista-- o projeto da UTE Castilla encontra-se em processo de licenciamento ambiental.

De acordo com o site da companhia, a usina térmica de Castilla será a carvão mineral, com módulos de 350 MW. A construção da usina térmica está integrada ao projeto da MMX no país, braço de mineração do grupo.

"A instalação de um porto na região é um importante avanço na implementação do projeto de mineração da MMX, pois irá assegurar uma logística eficiente para o carregamento e exportação do minério de ferro que será produzido pela MMX Minera de Chile, subsidiária da MMX", informou a MMX em comunicado nesta segunda-feira.

Segundo a empresa de mineração, o mapeamento geológico e o licenciamento ambiental já estão em curso, bem como o programa de caracterização mineralógica.

A companhia prevê "volumes significativos e uma logística favorável para o escoamento da produção" da MMX Chile.

Em setembro de 2008 a Minera MMX de Chile adquiriu dois direitos minerários de minério de ferro e assinou contratos de opção de aquisição referentes a outros dois direitos minerários, também de minério de ferro.

Os ativos estão localizados em um raio de 90 quilômetros da cidade de Copiapó, no norte do Chile, e totalizam uma área de aproximadamente 1.760 hectares, a cerca de 50 quilômetros de distância da costa chilena.

(com Denise Luna, da Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAMPX*eike batista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.