TV Globo/ Reprodução
TV Globo/ Reprodução

Empresa de mobilidade, 99 busca a ‘massa’ ao patrocinar o ‘BBB 22’

Um dos primeiros unicórnios brasileiros, a 99 puxa para si a responsabilidade de alertar consumidores sobre questões sociais

André Jankavski, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2022 | 05h00

A 99 foi uma das vencedoras do setor de aplicativos de transporte, que movimentou o mundo inteiro nos últimos anos. Porém, se antes a maneira para conquistar consumidores era por meio de cupons de desconto, a 99 decidiu mudar esse escopo, ainda mais durante a pandemia de covid-19. Um dos primeiros “unicórnios” brasileiros (como são chamadas as startups com valor de mercado acima de US$ 1 bilhão), a companhia entendeu que também poderia tentar ajudar a encontrar soluções para o País, que enfrenta tantos problemas sociais.

Um dos principais é a questão da violência contra a mulher – e também a falta de oportunidades de trabalho para elas. Desde 2019, a startup aposta no programa 99 Mais Mulheres, que traz tanto peças de conscientização quanto fornece corridas gratuitas para mulheres que querem denunciar violência em delegacias ou em centros de acolhimento.

No último ano, a empresa lançou o botão 99Mulher, que serviu para permitir que motoristas parceiras passassem a aceitar apenas corridas solicitadas por mulheres, trazendo mais segurança para ambas. Para completar, a 99 passou a apoiar o movimento corporativo Mulher 360, voltado para o desenvolvimento econômico feminino. 

“Durante a pandemia, ficou claro que a comunicação empática era a que deveria ser reforçada, considerando que a audiência estava sensível e mais atenta que nunca”, diz Juliana Biasi, diretora de marketing da 99.

Não à toa, a empresa seguiu apostando em outras frentes de conscientização e informação. Uma delas, o Expresso na Perifa, foi feita em parceria com o Estadão Blue Studio. Trata-se de um hub de conteúdo focado no jornalismo de serviço nas áreas periféricas, o que também auxilia no combate às notícias falsas, que tiveram um grande aumento durante a pandemia. 

Alcance

Além dessas ações mais concentradas em determinados públicos, a empresa sabe que não pode parar a comunicação de massa – especialmente por fazer parte de um setor em que compete com uma gigante como a Uber e também por estar ampliando os seus outros serviços, como a carteira digital 99Pay e o 99Food, de entrega de refeições. 

Por isso, a companhia apostou em várias campanhas com grandes personalidades, como o narrador Galvão Bueno e os influenciadores Rick Chester e Khaby Lame – este último, um dos maiores nomes do mundo no TikTok.

Para este ano, uma das maiores apostas da empresa será a estreia no Big Brother Brasil, da Rede Globo, que tem sido um dos maiores sucessos recentes da emissora carioca. Nesse caso, a estratégia de aquisição de clientes irá voltar: serão distribuídos cupons de desconto para novos consumidores da plataforma.

Por outro lado, a empresa também está de olho em outra massa de profissionais: os seus motoristas. Diante do aumento geral de custos para eles, com a gasolina ultrapassando os R$ 7 em alguns Estados como um dos exemplos, a companhia promete continuar dando apoios para que eles faturem mais. 

Segundo Juliana, a empresa aumentou os ganhos dos motoristas em pelo menos 10% no ano passado, além de reduzir a taxa da empresa a zero em alguns dias e horários específicos. Por último, fizeram a campanha “Direção Premiada”, estrelada por Galvão Bueno, que deu mais de R$ 2 milhões em prêmios para os motoristas parceiros.

“Neste não, o nosso foco é continuar ouvindo os parceiros e desenvolver soluções efetivas para auxiliá-los em um momento tão desafiador”, diz a executiva. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.