Tom Barreto/ Divulgação FHits
Tom Barreto/ Divulgação FHits

Empresa FHits, de conteúdo digital, recebe rodada de investimento

Aporte, de valor não revelado, foi realizado por Roberto Klabin, fundador da SOS Mata Atlântica, e por Régis Dubrule, fundador da TokStok

Wesley Gonsalves, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2021 | 05h00

A plataforma de mídia e conteúdo digital Fhits recebeu nesta semana sua primeira rodada de investimentos do empresário Roberto Klabin – membro da família da gigante de papel e celulose e fundador da organização SOS Mata Atlântica – e de Régis Dubrule, fundador da TokStok. 

O aporte, cujo valor não foi divulgado, ajudará a empresa a expandir sua atuação no setor de publicidade e marketing de influência. Com o investimento, Dubrule e Klabin se unem ao empresário  sueco Patrik Axelsson que já fazia parte do grupo de sócios da plataforma.

Atuando há 12 anos no mercado de moda e publicidade, a Fhits é especializada em gestão de campanhas. A empresa deve usar os recursos para impulsionar a criação de conteúdos com foco em “data driven creativity”,  como publicações orientadas pelo uso de dados, segundo explica a fundadora Alice Ferraz, também  colunista do Estadão. “Esse tema de análise de dados na criação de narrativas é o próximo passo dentro do mercado de marketing de influência”, afirma.

Com aproximadamente 2 mil influenciadores embarcados em sua plataforma, a FHits produziu mais de 1,2 milhão de publicações em 2021. 

Além da análise de dados, a Fhits também usará parte do aporte para expandir a cartela de criadoras e criadores de conteúdo. “Nascemos na moda, mas ampliamos nossa comunicação para os setores de feminino, moda e sustentabilidade”, diz Alice Ferraz. 

A Fhits também terá novidades no seu time de conselheiros, que a partir de agora adiciona Maria Angela Klabin e Ghislaine Dubrule como membros permanentes.

Tudo o que sabemos sobre:
Mídia & Mktmarketingpublicidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.