Empresas da França contribuirão com cerca de € 15 bi para a Grécia

Bancos e seguradoras franceses concordaram em participar do segundo pacote de ajuda ao país

Danielle Chaves, da Agência Estado,

28 de julho de 2011 | 12h53

O ministro de Finanças da França, François Baroin, afirmou que os bancos e seguradoras franceses concordaram em participar do segundo pacote de ajuda para a Grécia com base em toda a dívida que eles detêm com vencimento entre agora e 2020, que soma em torno de 15 bilhões de euros.

De acordo com o plano para a Grécia, selado entre os líderes da zona do euro na semana passada, a contribuição líquida do setor privado europeu será de cerca de 37 bilhões de euros por meio de um programa de troca de bônus e quase 13 bilhões de euros por meio de recompras de dívida até 2014.

Depois de uma reunião hoje com bancos e seguradoras e com o presidente do Banco da França, Christian Noyer, o ministro disse que o setor financeiro do país demonstrou sua determinação para participar da estabilidade financeira da zona do euro.

No primeiro pacote de ajuda para a Grécia, em maio do ano passado, as empresas financeiras da França já haviam concordado em manter sua exposição à economia grega e ao governo grego, observou Baroin. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaGréciapacote de ajuda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.