Encomendas de bens duráveis nos EUA caem 4,2% em março

Encomendas somaram US$ 202,57 bilhões e tiveram a maior queda desde janeiro de 2009

Álvaro Campos, da Agência Estado,

25 de abril de 2012 | 10h29

As encomendas de bens duráveis nos EUA caíram 4,2% em março, para o valor sazonalmente ajustado de US$ 202,57 bilhões, segundo informou hoje o Departamento de Comércio. É a maior queda desde janeiro de 2009 e contraria a previsão dos analistas ouvidos pela Dow Jones, que esperavam alta de 2%.

O avanço das encomendas em fevereiro foi revisado para 1,9%, da leitura original de alta de 2,4%. Uma redução de 47,6% nas encomendas de aeronaves comerciais puxou o dado para baixo em março, mas as encomendas de maquinário, computadores e metais primários também diminuíram.

As encomendas de bens de capital não ligados a defesa, excluindo aeronaves - um indicador dos investimentos das empresas - recuaram 0,8% em março. As encomendas gerais de bens de capital diminuíram 8,9%, embora os gastos com defesa tenham subido 10,3%.

As encomendas no setor de transportes caíram 12,5% em março, após o ganho de 1,8% em fevereiro. Excluindo o setor de transportes, as encomendas de bens duráveis recuaram 1,1%.

Excluindo o setor de defesa, as encomendas de bens duráveis recuaram 4,6% em março, também a maior retração desde janeiro de 2009.

As encomendas não atendidas - um sinal de demanda futura para o setor industrial - ficaram inalteradas em março, após a alta de 1,2% em fevereiro. Os embarques de bens duráveis cresceram 1,0%, enquanto os estoques aumentaram 0,4%. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
encomendasEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.