Energia solar não está prevista no leilão A-5

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, afirmou nesta segunda-feira, 26, que, por enquanto, não está prevista inclusão de energia solar no leilão de A-5 de dezembro (para contratar energia para 2018), que será realizado em 13 de dezembro.

SABRINA VALLE, Agencia Estado

26 de agosto de 2013 | 10h36

A solar fará parte do leilão A-3 (energia para 2016) de 18 de novembro, uma maneira de se formar "uma massa crítica" para esta nova fonte de energia, ainda em maturação no Brasil.

Tolmasquim lembra que a solar ainda precisa ser consolidada de forma a poder ter preço competitivo. O mercado espera redução de preço nos próximos anos, como aconteceu com a energia eólica.

Desta forma, seria mais vantajoso, disse Tolmasquim, esperar pelo leilão A-3 que será realizado daqui a dois anos do que participar do A-5 deste ano, já que ambos contratarão energia para 2018.

O executivo destaca que a instalação de uma usina de energia solar leva apenas 1,5 ano ou 2 anos.

Para o próximo leilão A-5, na quinta-feira, 29, há três usinas movidas a carvão habilitadas a participar. Espera-se um crescimento dessa fonte de energia poluente na matriz. "Tem que ver se vão participar mesmo. O preço (R$ 140 MW/h) é bom", disse. "O País precisa da energia".

O executivo participa do Brazil Energy and Power, seminário sobre energia organizado pela Câmara de Comércio Americana.

Tudo o que sabemos sobre:
EPEenergia solarleilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.