Eni ameaça cortar combustível sem garantias da Alitalia

O executivo-chefe da Eni, Paolo Scaroni, disse nesta sexta-feira, 11, que a empresa deixará de fornecer combustível à Alitalia depois do fim de semana, a menos que seja convencida de que a companhia aérea tem condições de continuar operando. "Se recebermos garantias da diretoria (da Alitalia), aí continuaremos fornecendo combustível", disse, em comentários transmitidos pela SkyTG24, às margens de uma conferência em Bruxelas. "Se não tivermos essas garantias, não forneceremos mais."

ROMA, Agencia Estado

11 de outubro de 2013 | 14h25

Nesta quinta-feira, 10, o primeiro-ministro da Itália, Enrico Letta, disse que a estatal dos correios, a Poste Italiane, está disposta a se tornar parceira da Alitalia e a participar de um eventual aumento de capital. Durante reunião mais cedo, os diretores da Alitalia aprovaram uma proposta de aumento de capital, que será submetida aos acionistas na segunda-feira, 14.

Executivos da Alitalia dizem que a empresa precisa levantar pelo menos ? 455 milhões (cerca de US$ 615 milhões) em recursos de acionistas e credores. A Air France-KLM, maior acionista da Alitalia, com uma fatia de 25%, tem mostrado relutância em contribuir por causa das próprias dificuldades financeiras. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaAlitália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.