ENTREVISTA-Eike diz que blocos em leilão da ANP 'saíram barato'

O empresário Eike Batista, quecomanda o grupo ao qual está ligada a OGX, grande destaque doleilão de blocos de petróleo do governo, afirmou que nãoconsiderou elevados os valores desembolsados pela empresa nadisputa, acrescentando que a estratégia esteve embasada emdados técnicos. "Montamos uma estratégia de avaliação em relação aopotencial de barris que devemos descobrir. No final, achamosbarato", disse ele, ao comentar o investimento de cerca 1,4bilhão de reais da empresa no leilão de blocos de petróleo egás. "Achamos que vamos conseguir um barril a 80 centavos dedólar, e isso relacionado ao valor que pagamos daria cerca de 2bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo mais gás)",declarou Batista, explicando em teleconferência a um grupo dejornalistas que o potencial dos blocos compensa o investimento. Segundo Batista, com a vitória obtida no leilão, aestreante OGX passa a ser a segunda maior empresa em áreas deexploração de petróleo e gás no país. A OGX liderou os lances financeiros da nona rodadapromovida pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural eBiocombustíveis (ANP). A empresa fez ofertas totais no valor decerca de 1,4 bilhão de reais por 6.437 quilômetros quadrados deáreas a serem exploradas nas bacias de Santos, Campos,Pará-Maranhão e Espírito Santo. "Nós conseguimos 21 dos 23 blocos que pretendíamos comprar,isso faz a OGX nascer grande", afirmou ele. NÚMERO DE SORTE O empresário brincou com o fato de ter incluído o número desua lancha de corrida, o 63, nos valores finais de todos oslances que apresentou. "Algum uso eu tenho que dar para minha lancha de corrida",afirmou Batista, que não participa de competições com aembarcação. Ele disse que não sabe se poderá visitar as plataformas danova empresa com a lancha, mas garantiu que manterá a tradiçãode usar o número 63 no final de todas as ofertas de possíveisnegócios, como ocorreu no leilão da ANP.A OGX, do grupo EBX, comandada pelo ex-presidente da PetrobrasFrancisco Gros, foi criada especialmente para participar doleilão.A companhia seguirá, segundo Batista, a mesma estratégia daMMX, empresa de mineração do grupo, que depois de agregar valoraos seus ativos abriu capital no mercado. "Vamos ficar alguns meses fazendo o trabalho de sísmica,novas avaliações e trabalhos em terceira dimensão, para agregarvalor, e mais tarde abrir o capital, chamar sócios", explicou oempresário. Ao ser questionado se a busca da empresa está mais focadaem gás ou petróleo, ele afirmou que a OGX visa os doiscombustíveis, "mas que o gás traz sinergia para os nossosnegócios". Sobre a oferta recorde de 344 milhões de reais feita por umbloco na bacia de Santos, o empresário explicou que o lance foibaseado em avaliação técnica. "O pessoal técnico tem estudos que indicam potencial dedescoberta de gás e petróleo."

DENISE LUNA, REUTERS

27 de novembro de 2007 | 20h20

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAENTREVISTAEIKE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.