ENTREVISTA-McDonald's vê lanchonetes como laboratórios verdes

Desde a transformação do óleo dabatata frita em combustível até o menor consumo de água em suastorneiras, o McDonald's vem testando formas de reduzir oimpacto ambiental de suas mais de 31 mil lanchonetes espalhadaspelo mundo. Presente em 118 países -- e em parte por isso alvoconstante dos ativistas anti-globalização --, a redenorte-americana está testando várias iniciativas ambientais,pois, segundo Bob Langert, vice-presidente de responsabilidadesocial corporativa, não faz sentido impor uma solução única atodo o sistema. "No Japão, que tem um território muito limitado, a questãoé o lixo. Na Austrália, trata-se da água. Não há um 'tamanhoúnico' quando se trata de iniciativas ambientais", disse ele àReuters. Nos últimos 20 anos, segundo o executivo, o McDonald'sadotou várias medidas ambientais, mas a maioria invisíveis paraos consumidores, com a redução na quantidade de embalagemusada, o uso de recursos pesqueiros mais sustentáveis e acompra de mais material reciclado. Langert se envolveu com os programas ambientais da empresadepois de trabalhar, em 1988, no projeto de eliminação dasembalagens feitas com gás CFC, nocivo à camada de ozônio. Nos últimos anos, segundo ele, cada vez mais os mercados efranquias criam individualmente suas iniciativas ambientais. Na Suíça, por exemplo, a instalação de mictórios secos naslanchonetes reduziu em quase 10 por cento o consumo de água. NoReino Unido, algumas lojas estão transformando o óleo defritura em biodiesel, que abastece os caminhões que fazementregas na rede. Em 2005, um franqueado de Savannah (Geórgia, Costa Lestedos EUA) abriu a primeira lanchonete do McDonald's certificadapelo sistema Leed ("liderança em energia e design ambiental,"na sigla em inglês). A meta, segundo Langert, é usar as lojas da empresa como"laboratórios de experimentação verde." A transformação do óleo de fritura em biodiesel, porexemplo, "pode ganhar escala com o tempo" e "o prognóstico éque na verdade economizaremos dinheiro." Além disso, o McDonald's promove novos projetosarquitetônicos nas lojas, incorporando mais luz natural egastando menos energia. Até agora, muitas inovações são pouco visíveis, como osistema de "notas ambientais" para os fornecedores e a adesão auma moratória do Greenpeace contra a soja plantada em áreasrecém-desmatadas da Amazônia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.