ENTREVISTA-Votorantim investirá mais e aposta em commodities

As empresas do Grupo Votorantim deveminvestir cerca de 5 bilhões de reais em 2008, aumento emrelação aos entre 3,5 bilhões e 4 bilhões de reais projetadospara este ano. "Temos um plano extremamente agressivo de investimentos noBrasil e no exterior", disse à Reuters, por telefone, LuisFelipe Schiriak, diretor financeiro da VotorantimParticipações, holding das empresas operacionais do maior grupoindustrial de capital privado do país. Nesta sexta-feira, a agência de classificação de riscoMoody''s elevou o rating da Votorantim Participações em moedaestrangeira de "Ba1" para "Baa3", primeira nota dentro dochamado grau de investimento --selo dado a companhias com riscobaixo de default. Outras duas agências --Fitch e Standard & Poor''s -- jáhaviam atribuído grau de investimento à holding. O executivo da Votorantim diz ainda estar desconfiado damelhora do humor nos mercados financeiros globais nos últimosdias, após semanas de turbulências deflagradas por problemas nosetor de crédito imobiliário dos Estados Unidos. "Estamos um pouco conservadores. A gente não acessou osmercados, a gente sempre gosta de enxergar longe. Hoje a gentenão está enxergando que o mercado esteja realmente aberto elíquido." "Estamos numa situação muito confortável, já que temoscaixa de 10,5 bilhões de reais", afirmou ele ao ser questionadosobre novas captações. COMMODITIES EM ALTA Os investimentos programados pelo grupo passam por áreascomo metais, celulose, aço e cimento. De acordo com Schiriak, as análises da Votorantim indicamque as commodities vão continuar com preços altos nos próximosanos, com base no crescimento da economia mundial,especialmente na Ásia. "Não sabemos se nos picos de uns trêsmeses atrás, mas acima das médias históricas", disse. Na área de metais, a Votorantim está construindo uma usinade aços longos no Rio de Janeiro que vai produzir 1 milhão detoneladas, com início da produção em meados de 2009. O grupo também está apostando em ferro-níquel em Goiás e emalumínio, através da empresa CBA. No exterior, há investimentosem curso no Peru (zinco) e na Colômbia (aços longos). "Temos outro projeto interessante em polimetálicos, paraproduzir chumbo, cobre e índio, um metal que é um subproduto dozinco usado para fabricar monitores de plasma e LCD", afirmou. Em cimentos, recentemente o grupo anunciou investimentos de1,6 bilhão de reais no Brasil. Em celulose, onde opera por meioda Votorantim Celulose e Papel (VCP), única empresa do grupolistada em bolsa, está sendo construída uma linha de produçãono Mato Grosso do Sul, de 1,3 milhão de toneladas. Sobre levar outras companhias do grupo para a Bolsa deValores de São Paulo, o diretor da Votorantim disse que não hánada que impeça a holding de fazer "seletivamente a abertura decapital de uma das empresas" no futuro. "Mas hoje, na condição atual, não", concluiu.

CESAR BIANCONI, REUTERS

24 de agosto de 2007 | 18h40

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASVOTORANTIMENTREVISTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.