E.ON deve demitir quase 11 mil funcionários até 2015

A companhia de energia e gás alemã E.ON informou hoje que deve demitir quase 11 mil funcionários e espera reduzir seus custos em 9,5 bilhões de euros até 2015.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

22 de novembro de 2011 | 15h28

Em agosto, a E.ON definiu uma meta de reduzir o número de vagas entre 9 mil e 11 mil, em resposta a uma redução nos preços de energia e gás e aos planos do governo da Alemanha de interromper o uso de energia nuclear. Hoje a companhia revelou que os cortes devem ficar perto do limite superior dessa faixa.

A E.ON planeja realizar algumas mudanças na estrutura do grupo, que vão afetar unidades nas cidades de Essen, Dusseldorf, Hannover e Munique. A diretoria da companhia quer agrupar funções de suporte, como setor financeiro, recursos humanos e contabilidade. "É possível prever que de 30% a 40% das vagas de trabalho serão cortadas", diz o comunicado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
energiaEONdemissõesAlemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.