Equador abre nova investigação contra a Petrobras

O Equador deu início a uma novainvestigação para determinar se a Petrobras cometeu violaçõesque levem à perda de suas concessões no país, disse naterça-feira o ministro do Petróleo, Jorge Albán. O questionamento visa corroborar acusações prévias de umacomissão governamental, que concluiu que a Petrobras vendeu 40por cento de suas operações à japonesa Teikoku Oil sem o avaloficial, além de ter explorado irregularmente uma jazida emdisputa com a estatal Petroecuador. A postura da comissão abriu caminho para que as autoridadesfalem sobre a possibilidade de declarar fim da validade docontrato de exploração e exportação de petróleo vigente com aPetrobras e a perda das concessões pelas quais extrai cerca de35 mil barris diários. Albán, no entanto, resolveu realizar uma nova investigaçãoantes de tomar uma decisão final, sem especificar que instânciado ministério ou os técnicos que estão realizando a análise dainformação vinculada às acusações que pesam sobre a companhiabrasileira. Uma eventual declaração de caducidade dependerá doresultado da investigação em marcha, segundo Albán. Não háprazo para o final dos trabalhos. A Petrobras, que tem rechaçado as acusações e demandadoinformações sobre os processos instalados, opera no blocoamazônico 18. A empresa também espera uma autorização ambientalpara explorar o bloco 31, na mesma região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.