Divulgação
Divulgação

Erros de gestão comprometem acesso dos pequenos negócios ao crédito bancário

Pequenas e médias empresas precisam controlar contas antes de recorrerem aos emprétimos

BRUNO DE OLIVEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO DE S. PAULO

13 de janeiro de 2015 | 07h11

Ter acesso a linhas de crédito pode definir a continuação ou o encerramento de um negócio. Sem dinheiro, boas ideias podem permanecer engavetadas e deixar de impactar o mercado de maneira positiva.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A oferta de crédito no País, entre 2007 e 2011, por exemplo, viveu um momento de alta com o otimismo do setor financeiro em relação às pequenas e médias empresas, segundo pesquisa feita pela Fundação Cabral em 2013, última edição do estudo.

Em uma escala de importância de zero a 100, a oferta de financiamento saltou de 61,2 (2007) para 70,9 (2013). Contudo, apesar do crescimento verificado, muitos empreendedores ainda usam o recurso conseguido junto aos bancos e instituições de fomento de maneira equivocada, transformando em dívida o que poderia ser uma alavanca importante.

"O grande problema que existe entre os pequenos e médios negócios é utilizar o recurso financeiro sem o devido planejamento. Ele precisa entender que o crédito deve ser uma saída, não um socorro para apagar incêndios dentro da empresa", disse Douglas Eduardo Almeida, consultor do Sebrae-SP.

De acordo com o consultor, os Microempreendedores Individuais (MEI) pertencem ao grupo onde este pensamento é mais recorrente. No caso dos empreendedores com este perfil, outra situação comum é a de contratar um empréstimo sem que a necessidade realmente exista.

"O MEI ainda não tem o entendimento que as contas da empresa devem estar controladas para que ela possa crescer. Em alguns casos, parte ou o total do valor que o empreendedor precisa está diluído dentro da empresa. Eles não enxergam e acabam contraindo dívidas", explicou Almeida.

O consultor aponta que as linhas de microcrédito oferecidas pelas maioria dos bancos são bem atrativas. Importante lembrar, ainda, que quando o banco vai fazer este tipo de operação é analisada a capacidade de pagamento por parte do empreendedor.

É neste contexto que o Sebrae-SP realiza um trabalho de consultoria para orientar o empreendedor a detectar a necessidade de um aporte externo em seu negócio e escolher a melhor linha de crédito. 

Durante a Feira do Empreendedor, evento anual promovido pela entidade que acontece em fevereiro, em São Paulo (SP), palestras e consultores prestarão auxílio aos empreendedores que necessitam acessar este tipo de serviço.

Orientação. Para Pamella Gonçalves, consultora da Endeavor, toda análise de crédito deve ser feita de forma que o empreendedor tenha claro que as contas da empresa são separadas das pessoas físicas que compõem o grupo de sócios.

"Mesmo sendo uma operação menor, o empreendedor deve acompanhar de perto as contas da empresa, o fluxo de caixa, etc. O que acontece bastante é ele usar o caixa da empresa para gastar com a família ou o contrário, usar reservas da poupança para cobrir buracos da empresa. Se forem detectados estes cenários, algo está errado e precisa ser corrigido", contou Pamella.

Uma das principais linhas de créditos usadas no País para aquisição de máquinas e equipamentos, tanto para a indústria quanto para o agronegócio, é o Finame, do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). 

Para Paulo Sodré, gerente do departamento de financiamento de máquinas e equipamentos do BNDES, a ideia dessa linha é facilitar o acesso ao crédito para compra de equipamentos que permitem ao empreendedor margem para aplicar recursos em outras partes da empresa e, principalmente, que ele consiga pagar o empréstimo.

"A taxa de inadimplência do Finame, por exemplo, é baixíssima porque é uma ação direta, ela está direcionada para um grupo específico em termos de taxas de financiamento e trabalha com produtos nacionais. Nestas condições, conseguimos em alguns casos financiar até 50% de uma máquina nova", finalizou o executivo.

SERVIÇO

Feira do Empreendedor

Local: Pavilhão Anhembi Parque

Endereço: Avenida Olavo Fontoura, 1209 - Santana, São Paulo/SP

Data: de 07 a 10 de fevereiro

Sábado a terça-feira: das 10h às 21h

Tudo o que sabemos sobre:
SebraeEmpreendedorismoNegócios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.