Espanha apoiará presidente do BC mexicano para o FMI

Segundo a ministra de Finanças espanhola, apoio se deve a um acordo de partilha de votos com inúmeros países latino-americanos

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

31 de maio de 2011 | 12h07

A Espanha apoiará o presidente do Banco Central do México, Agustín Carstens, na corrida para o cargo de diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) devido a um acordo de partilha de votos com inúmeros países latino-americanos, afirmou a ministra de Finanças espanhola, Elena Salgado.

Numa conferência em Madri, Salgado disse que o apoio da Espanha a Carstens era uma questão técnica. A Espanha tem um acordo para votar em bloco com a Venezuela, México e países da América Central. Se um representante de qualquer um desses países estiver entre os candidatos para a diretoria-geral do FMI, todos os países no bloco são obrigados a votar nesse candidato.

Carstens é o principal concorrente da ministra francesa da Economia, Christine Lagarde, para o cargo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FMIMéxicoEspanhaCarstensLagarde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.