Espanha não planeja recorrer às novas linhas de crédito, diz Zapatero

Para primeiro-ministro da Espanha, acordo de ajuda à Grécia contribuirá para uma redução dos custos de crédito para a Espanha

Renato Martins, da Agência Estado,

21 de julho de 2011 | 18h26

O primeiro-ministro da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, disse que seu país não pretende recorrer às novas linhas de crédito do Programa Europeu de Estabilidade Financeira (EFSF), que os governos dos países da zona do euro concordaram em criar. "Não está em nossos planos", afirmou Zapatero ao falar com jornalistas ao fim da reunião de chefes de governo da zona do euro em Bruxelas, nesta quinta-feira, 21.

Segundo ele, o acordo alcançado hoje deverá restaurar a confiança dos mercados, especialmente a parte que permite ao EFSF passar a comprar bônus no mercado secundário. Zapatero também disse que a Grécia levará "muitos anos para voltar à normalidade". Ajudar a Grécia "vai nos custar muito, mas temos de ficar do lado deles", acrescentou.

Indagado sobre se o acordo contribuirá para uma redução dos custos de crédito para a Espanha, ele respondeu: "Minha opinião é que sim". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
espanhacreditobceunião europeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.