Espanha vota em meio à pior crise em 40 anos

Pesquisas indicam favoritismo de conservador Mariano Rajoy, beneficiado por desgaste de socialistas com a crise econômica

BBC Brasil ,

18 de novembro de 2011 | 09h02

 

A Espanha vai à urnas no domingo para eleições gerais, que, segundo as pesquisas de opinião e prognósticos de especialistas têm um favorito claro: o candidato conservador Mariano Rajoy, que participa pela terceira vez do pleito.

A campanha eleitoral foi dominada pela pior crise econômica do país em 40 anos. Com a taxa de desemprego mais alta entre as nações industrializadas (22% da população ativa), ameaça de resgate financeiro da União Europeia e risco de recessão, o próximo governo, seja qual for o resultado nas urnas, sabe que o país terá de apertar os cintos.

Mariano Rajoy promete levantar a economia espanhola, mas foi criticado por evitar apresentar suas ideias e por fazer uma campanha passiva, apostando no desgaste provocado pela crise sobre o governo socialista de José Luis Rodriguez Zapatero e seu candidato.

O líder do PP, que evitou as entrevistas coletivas durante a campanha e participou de um único debate com o candidato socialista, Alfredo Pérez Rubalcaba, disse que a solução para sair da crise é "fazer as coisas bem, e o PP fará as coisas bem".

Rajoy indicou que pretende introduzir reformas trabalhistas, controlar o deficit público e apoiar pequenos empresários.

Mas a falta de uma proposta ampla e clara gerou críticas dentro e fora da Espanha. A revista britânica The Economist o chamou em uma legenda de foto de "o homem que não tem nada a dizer", e vários jornalistas de economia espanhola lhe definem como "o mudinho".

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhaeleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.