Estatais buscam parceiros para leilão do rio Madeira

A Eletronorte e a Chesf,controladas pela Eletrobrás, informaram nesta quinta-feira quereceberão até 5 de setembro manifestações de empresas quedesejem fazer parcerias para disputar a usina hidrelétrica deSanto Antônio, no rio Madeira, em Rondônia. As duas empresas formarão consórcios separados paradisputar o leilão, previsto para meados de outubro, quecolocará à venda a concessão da primeira usina do complexoMadeira, com capacidade instalada de 3.150 megawatts e avaliadaem torno de 10 bilhões de reais. A segunda unidade, a usina deJirau, com 3.300 megawatts, deverá ser licitada em 2008. Segundo comunicados divulgados separadamente pela CompanhiaHidro Elétrica do São Francisco (Chesf) e pela CentraisElétricas do Norte do Brasil (Eletronorte), os possíveisfuturos sócios devem encaminhar às empresas documentos e opercentual que pretendem obter no consórcio que será formadopara o leilão. A análise da documentação pelas estatais, além deeventuais pedidos de envio de documentação suplementar, estáprevista para ser concluída até o dia 10 de setembro. Osparceiros serão conhecidos até o dia 14, segundo o comunicado. Até agora Furnas era a única estatal interessada no ativo,em parceira com a Odebrecht e com os bancos Santander e Banif,que montaram um fundo de investimentos para receber adesões deinvestidores institucionais. A entrada da Eletronorte e da Chesf, em dois consórciosseparados, tem por objetivo equilibrar a disputa, depois quegrupos interessados no leilão reclamaram da exclusividade deFurnas e Odebrecht. Estariam também no páreo pela usina de Santo Antônio umpossível consórcio entre a CPFL, Camargo Corrêa e o grupoVotorantim; um grupo de distribuidoras liderado pela Cemig ; eempresas como Schahin e Alusa. A Suez Energia Brasil já confirmou oficialmente aparticipação e declarou que iria sozinha ao leilão. (Por Denise Luna)

REUTERS

30 de agosto de 2007 | 18h43

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAMADEIRAESTATAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.