Estratégia de saída do Fed deverá ser gradual, diz ata

Ata da reunião do Fomc mostra que diminuição gradual do balanço patrimonial da instituição provavelmente será o 1º passo para aperto da política monetária

Renato Martins, da Agência Estado,

18 de maio de 2011 | 15h28

Os dirigentes do Federal Reserve norte-americano aparentemente concordaram, em sua última reunião, que a diminuição gradual do balanço patrimonial da instituição provavelmente será o primeiro passo para o aperto da política monetária, mas não se viram prontos a começar a executar esse plano até estarem certos de que a economia pode suportar essa medida.

A ata da reunião do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) realizada em 26 e 27 de abril mostra que os dirigentes do Fed tiveram uma discussão extensa sobre a chamada estratégia de saída para as condições frouxas da política monetária. Assim como a retirada das tropas dos EUA do Iraque ou do Afeganistão, a estratégia de saída do Fed traz muita incerteza, porque se trata de algo nunca tentado anteriormente. Os dirigentes do Fed indicaram que o processo deverá ser gradual e flexível, porque as condições podem mudar.

O primeiro passo, como o presidente do Fed, Ben Bernanke, indicou na entrevista coletiva realizada ao fim da reunião, será a decisão de permitir que parte da carteira de US$ 900 bilhões em títulos lastreados em hipotecas chegue ao vencimento sem reinvestir os recursos, o que reduziria o balanço patrimonial da instituição. Junto com essa decisão, ou, possivelmente, logo depois, será tomada a decisão de permitir que cerca de US$ 1,5 trilhão em bônus do Tesouro mantidos pelo Fed vençam gradualmente.

Em algum momento, o Fed terá de vender suas posições em títulos lastreados em hipotecas. Mas a ata mostra que os participantes da reunião estavam inclinados a adiar essas vendas até que tenham tomado medidas mais tradicionais, tais como elevar a taxa que orienta o crédito interbancário.

"A maioria dos participantes preferiu que as vendas de títulos das agências de crédito hipotecário viriam depois da primeira elevação da meta do Fomc para as taxas de juro de curto prazo", diz a ata. "Muitos daqueles participantes também manifestaram a preferência de que as vendas sejam feitas gradualmente, por exemplo ao longo de cinco anos", acrescenta o documento.

A ata também mostra que os dirigentes do Fed esperam que a inflação se eleve neste ano, por causa das altas dos preços da energia e dos alimentos, mas a maioria deles acredita que a elevação será temporária e que o Fed poderá se dar ao luxo de manter a torneira do crédito aberta por mais algum tempo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FedEUA: Fomctítulosjuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.