Estratégia para dobrar renda per capita em 15 anos é ambiciosa, diz Mantega

De acordo com o ministro, na última década a renda per capita cresceu 28% 

Francisco Carlos de Assis, Beatriz Bulla e Renan Carreira,

30 de setembro de 2013 | 10h09

SÃO PAULO - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou há pouco que a estratégia para dobrar a renda per capita no Brasil em 15 anos demanda uma estratégia de desenvolvimento. "É preciso de muita estratégia e uma estratégia muito eficiente", completou Mantega, que disse que essa é uma meta muito ambiciosa.

De acordo com o ministro, na última década a renda per capita cresceu 28%. "Não é pouca coisa e para isso o Produto Interno Bruto (PIB) teve que crescer a uma média de 3,6% ao ano", completou. No mesmo período, segundo Mantega, o investimento cresceu em média 5,7% ao ano. "Tem gente que pensa que só cresceu o consumo nesse período. Houve um forte aumento do investimento também."

Segundo ele, o crescimento na última década absorveu todo o estoque de emprego disponível na época. Ele mencionou a geração de 20 milhões de empregos formais. "Foi o período que houve uma grande ampliação do mercado de crédito", completou, dizendo também que o mercado de capitais cresceu e hoje movimenta diariamente dez vezes mais do que movimentava na época. "O que pode acontecer nos próximos dez anos? Estou estimando que uma elevação possível da renda per capita seria de uns 40% nesse segundo período", completou o ministro.

De acordo com Mantega, para isso, o PIB precisaria crescer 4% ao ano e o investimento 7%, até 2022. A renda per capita estimada, segundo o ministro, é de R$ 30 mil até 2022. Ele ressaltou a importância da educação para se atingir esta meta.

Mantega participa nesta manhã da abertura do 10º Fórum de Economia, organizado pela Escola de Economia de São Paulo (EESP) da Fundação Getulio Vargas (FGV), em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) e o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Mais conteúdo sobre:
MantegaPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.