EUA e Alemanha sinalizam cooperação sobre reforma financeira

Ministro de Finanças alemão reconheceu, contudo, que a estrutura do setor financeiro norte-americano é 'muito diferente daquela da Europa continental'

Danielle Chaves, da Agência Estado,

27 de maio de 2010 | 09h24

O secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, afirmou depois da reunião que teve com o ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, que existe um interesse comum na criação de uma abordagem global para a reestruturação do sistema financeiro. Schaeuble reforçou a opinião de Geithner e disse que a Europa e os EUA precisam trabalhar mais proximamente no ajuste da regulação financeira.

No entanto, apesar de demonstrarem disposição para cooperação, as duas autoridades fizeram alertas. Geithner observou que não devem ser elaboradas políticas que sejam contraproducentes e possam tirar as atividades da supervisão do mercado.

Schaeuble, por sua vez, afirmou que as soluções encontradas pela Europa e pelos EUA para a regulação financeira não necessariamente serão paralelos perfeitos. Segundo o ministro alemão, a estrutura do setor financeiro norte-americano é "muito diferente daquela da Europa continental".

O ministro também disse entender que as autoridades dos EUA tenham uma opinião diferente sobre como regular os derivativos e as vendas a descoberto. Na semana passada a Alemanha agiu unilateralmente para banir algumas dessas operações e o gabinete do país vai avaliar medidas mais amplas na próxima semana.

Com relação à crise de dívida da Grécia e os subsequentes temores de disseminação dos problemas para outras economias fracas da zona do euro, Schaeuble destacou que os membros do bloco europeu precisam fazer economias ambiciosas e sinalizar rígidos limites para a dívida, mesmo que a recuperação econômica esteja nos estágios iniciais. Geithner comentou que os países devem encorajar o crescimento enquanto reduzem os déficits.

Antes de seguir para Berlim, Geithner se reuniu com Axel Weber, que é presidente do Bundesbank, o banco central alemão, e membro do conselho de governo do Banco Central Europeu (BCE). A visita de Geithner a Berlim foi a última parada em uma viagem na qual o secretário também se encontrou com o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, em Frankfurt; com o ministro de Finanças do Reino Unido, George Osborne, em Londres; e com autoridades chinesas em Pequim.

As informações são da Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.