Nam Y. Huh/AP Photo
Nam Y. Huh/AP Photo

EUA investigam incêndios em carros de Kia e Hyundai

Foram registradas mais de 3.100 queixas sobre princípios de incêndios espontâneos em veículos fabricados pelas duas montadoras sul-coreanas

AFP, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2019 | 03h42

As autoridades americanas anunciaram nessa segunda-feira, 1°, que abriram investigações envolvendo a Kia e a Hyundai. A causa são as mais de 3.100 queixas sobre princípios de incêndios espontâneos em veículos fabricados pelas duas montadoras sul-coreanas.

Os incidentes estão vinculados a uma morte e 103 ferimentos até o momento, informou a Agência Nacional de Segurança para o Trânsito nas Estradas (NHTSA, sigla em inglês). Segundo a agência, quase 3 milhões de veículos da Kia e da Hyundai poderão ser retirados do mercado ao final das investigações, que começaram em 29 de março.

Estão em análise cerca de 1,3 milhão de modelos Hyundai Sonata e Santa Fé fabricados entre 2011 e 2014, além de quase 1,7 milhão de modelos Kia Optima e Sorento, de entre 2011 e 2014, e Kia Soul, entre 2010 e 2015. A morte citada envolveu um automóvel da Kia, grupo que também responde pelo maior número de lesões (77) e queixas (1.784).

Os documentos publicados pela NHTSA informam que as queixas recebidas envolvem incêndios espontâneos, especialmente no compartimento do motor.

Alertado em junho de 2018 por uma associação de usuários, a NHTSA solicitou documentos aos dois fabricantes dois meses após após saber dos incêndios e de suas consequências.  "Já está na hora de que todo o poder do governo federal seja aplicado para se saber por que motivo milhares de veículos Kia e Hyundai estão envolvidos em incêndios sem colisão", disse Jason Levine, alto funcionário da associação Center for Auto Safety (CAS). "Esperamos que esta decisão leve à retirada destes carros o mais cedo possível".

Contactados pela AFP, Kia e Hyundai ainda não responderam. Desde 2015, cerca de 6 milhões de veículos das duas montadoras sofreram problemas semelhantes, mas apenas 2,4 milhões passaram por recall.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.