EUA multam 9 fabricantes japonesas de peças automotivas

Nove empresas japonesas pagarão US$ 740 milhões aos Estados Unidos após se declararem culpadas da acusação de combinarem preços para componentes de automóveis, anunciou o Departamento de Justiça dos EUA.

Agencia Estado

26 de setembro de 2013 | 16h29

Entre as empresas que chegaram a um acordo com o governo norte-americano estão a Hitachi Automotive Systems, que desembolsará US$ 195 milhões, e a Mitsubishi Electric, que pagará US$ 190 milhões. As outras empresas que concordaram com o pagamento foram Jtekt, Mitsuba, Mitsubishi Heavy Industries, NSK, T.RAD, Valeo Japan e Yamashita Rubber.

O órgão do governo explicou que as empresas estavam envolvidas em diferentes atividades ilegais, de modo a fixar preços de mais de 30 componentes vendidos aos fabricantes norte-americanos, incluindo Chrysler, Ford e General Motors.

Agora, já são 20 empresas, de maioria japonesa, que concordaram em pagar um total superior a US$ 1,6 bilhão em multas por crimes. O Departamento de Justiça fez as primeiras acusações em 2011, que se expandiram ao longo do tempo, conforme surgiram evidências de combinação de preços em outros esquemas que ainda não haviam sido descobertos. A investigação analisa diversos produtos, desde instrumentos para os painéis dos veículos a airbags e volantes. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
automotivoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.