EUA não têm candidato ao FMI, mas mulher é bem-vinda, diz Hillary

'Oficialmente, os Estados Unidos irão avaliar e eventualmente anunciar uma preferência', disse

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

26 de maio de 2011 | 09h37

Os Estados Unidos ainda têm de apoiar "oficialmente" um candidato para concorrer ao cargo de diretor-gerente do FMI, disse a secretária de Estado, Hillary Clinton, acrescentando que "não oficialmente" apoiaria uma mulher para o posto.

Hillary disse que a candidatura de uma mulher qualificada para o cargo seria bem-vinda, aparentemente, em uma velada referência à ministra das Finanças da França, Christine Lagarde, que lançou sua candidatura ontem. Mas Hillary não endossou o nome de Lagarde explicitamente.

"Os EUA não tomaram uma posição sobre qualquer candidatura ainda", disse Hillary em Paris, onde encontra-se com ministros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD).

"Oficialmente, os Estados Unidos irão avaliar e eventualmente anunciar uma preferência", acrescentou. "Não oficialmente, nós consideramos bem-vinda uma mulher bem qualificada e experiente para liderar organizações como o FMI", concluiu. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.