EUA saúdam decisão da China de cortar taxas sobre autopeças

Os Estados Unidos saudaram nesta sexta-feira a decisão de Pequim de eliminar tarifas adicionais de importação de autopeças, depois que a China perdeu uma disputa na Organização Mundial do Comércio (OMC).

DOUG PALMER, REUTERS

28 de agosto de 2009 | 16h03

"Estamos satisfeitos pela China ter nos informado que está eliminando os encargos adicionais sobre autopeças importadas em resposta à decisão da OMC. Vamos acompanhar atentos às mudanças anunciadas pela China", disse o representante comercial dos EUA Ron Kirk em comunicado.

A iniciativa da China de cumprir com a decisão da OMC vem semanas antes de o presidente dos EUA, Barack Obama, decidir se restringe a importação de pneus chineses, em um caso levantado por sindicatos do setor.

Se Obama concordar com a restrição, poderia abrir caminho para a China iniciar sua própria ação contra os EUA na OMC.

O caso envolvendo as autopeças data de março de 2006.

Todos as montadoras da China que usavam autopeças importadas tinham que registrar o automóvel e oferecer informações específicas sobre cada carro, incluindo uma relação das peças importadas e nacionais e o valor e o fornecedor de cada item.

Se a quantidade ou o valor dos componentes importados superasse o teto estabelecido, as autoridades chinesas tributavam em 25 por cento cada componente vindo do exterior.

Segundo os EUA, os encargos discriminavam as peças importadas e colocavam pressão significativa para que as fabricantes de autopeças transferissem linhas de produção para a China.

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSCHINAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.