EUA voltam a discutir liberação de reserva emergencial de petróleo

Preço da commodity superou US$ 95 o barril; As conversas estão no estágio inicial

Sergio Caldas, da Agência Estado,

17 de agosto de 2012 | 08h40

O governo dos EUA está retomando discussões sobre a possível liberação de reservas emergenciais de petróleo agora que o preço da commodity superou US$ 95,00 o barril, segundo um oficial da administração Obama.

As conversas estão no estágio inicial e a decisão não deverá sair no curto prazo, afirma o oficial. No entanto, a alta do custo do petróleo, combinada com o aumento no preço da gasolina, está gerando receios de que os custos dos combustíveis prejudiquem ainda mais a já frágil recuperação da economia norte-americana.

O preço médio da gasolina chegou a US$ 3,70, ante US$ 3,40 um mês atrás, de acordo com pesquisa da AAA Fuel Gauge. O preço do petróleo, por sua vez, fechou ontem a US$ 95,60 o barril, o maior valor em três meses.

Um porta-voz da Casa Branca se recusou a comentar sobre a questão das reservas emergenciais, que somam 700 milhões de barris e podem ser usadas em momentos de desabastecimento.

A última vez em que o governo Obama liberou petróleo das reservas foi no ano passado, como parte de um esforço coordenado para compensar reduções na produção da Líbia, que na época estava em guerra.

Washington está também entrando em contato com países aliados para discutir a possibilidade de uma liberação coordenada de reservas de emergência, segundo o oficial. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
governoEUApetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.