Euro abre com a cotação recorde de US$ 1,3882 em Frankfurt

Operadores prevêem que o euro supere a marca de US$ 1,39 neste pregão, se juros americanos baixarem

Efe,

12 de setembro de 2007 | 06h06

O euro subiu nesta quarta-feira, 12, na abertura do mercado de Frankfurt, estabelecendo um novo recorde. Ele foi cotado a US$ 1,3882, contra US$ 1,3836 do fechamento de terça-feira. Após superar o recorde de 24 de julho, de US$ 1,3853, o euro continuou a subir com força. Havia ordens de compra fixadas para quando a moeda chegasse a esta cotação. Alguns operadores prevêem que o euro supere a marca de US$ 1,39 neste pregão. Um dos motivos é a expectativa de que o Federal Reserve americano (Fed) baixe as taxas de juros nos Estados Unidos, atualmente em 5,25%, devido ao enfraquecimento da economia americana. A medida reduziria a diferença para as taxas da eurozona, que estão em 4%. Além disso, a Associação Nacional de Agentes de Bens Imobiliários dos EUA previu que as vendas de casas vão diminuir 8,6% este ano em comparação com 2006, devido em grande parte às turbulências no mercado de hipotecas. A crise creditícia poderia também retardar o crescimento da economia americana, o que ajuda a desvalorizar o dólar. O emprego nos EUA caiu em agosto, pela primeira vez em quatro anos, contra as previsões dos analistas. Além disso, o euro se fortaleceu com a renúncia, nesta quarta, do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe. A incerteza no cenário político japonês derrubou a Bolsa de Tóquio e desvalorizou o iene. Nesta quarta serão revelados os números de produção industrial da Europa correspondentes a julho. O BCE fixou na terça-feira o câmbio oficial do euro em US$ 1,3824.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.