Euro e bolsas sobem com prévia de documento sobre ajuda à Grécia

Segundo analista, BCE diminua seu papel de comprador da dívida grega, pois programa de financiamento EFSF pode ter sido aumentado

Danielle Chaves, da Agência Estado,

21 de julho de 2011 | 10h01

A prévia do documento da zona do euro sobre um novo acordo para a Grécia deu força para o euro e para as bolsas europeias, embora ainda seja um comunicado preliminar, afirmou Mark McCormick, analista da Brown Brothers Harriman.

O que está tornando os mercados otimistas é que o plano deve usar como fonte de recursos para a ajuda à Grécia a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF), o que reduziria a necessidade de o Banco Central Europeu (BCE) ser o comprador de "último recurso" na zona do euro.

Pela manhã, líderes da cúpula dos países da zona do euro se reuniram para discutir a crise na Grécia. O objetivo do encontro era aprovar um plano que detalhe qual será a participação do setor privado em um novo pacote de resgate aos gregos.

Nos últimos dias, investidores construíram forte expectativa de que sairá um resultado efetivo dessa reunião. Leia-se mais 115 bilhões de euros para os gregos. Diversas alternativas vêm sendo cogitadas e o cenário ainda é incerto, apesar do acerto fechado entre a chanceler Angela Merkel e o presidente Nicolas Sarkozy, após longa reunião ontem.

Às 9h40 (de Brasília), o euro subia para US$ 1,4278, de US$ 1,4219 no fim da tarde de ontem, enquanto Londres avançava 0,37%, Paris ganhava 1,27% e Madri tinha alta de 1,97%.

Mesmo com a ajuda financeira para a Grécia, ficam as perguntas sobre a sustentabilidade do endividamento do país. É difícil enxergar uma "bala de prata" capaz de dar conta de todos os problemas de uma vez nessa quinta-feira.

As informações são da Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.