Eurogrupo aprova 2 opções para aumentar poder de fogo do fundo de resgate

Os ministros da zona do euro não divulgaram, entretanto, qual seria o aumento efetivo do fundo, que atualmente tem capacidade de financiar € 400 bilhões

Gustavo Nicoletta, da gência Estado,

29 de novembro de 2011 | 22h33

Os ministros de Finanças da zona do euro aceitaram que a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF) garanta parcialmente as dívidas de países do bloco monetário e crie fundos de investimento que receberiam tanto capital do fundo quanto de investidores privados com o objetivo de comprar bônus soberanos.

As medidas, divulgadas pela EFSF em um comunicado, servirão para ampliar o poder de fogo do fundo e auxiliar no combate à crise de confiança nas dívidas soberanas da zona do euro. Na primeira opção, a EFSF ofereceria um certificado de proteção parcial aos títulos que fossem emitidos por países do bloco monetário. Esse certificado poderia ser negociado separadamente após o lançamento dos bônus soberanos e garantiria de 20% a 30% do principal da dívida.

A segunda opção, que prevê a criação de um ou mais fundos de investimento, "permitiria a combinação de financiamento público e privado", afirma a EFSF. Esses novos fundos comprariam títulos no mercado primário, fornecendo financiamento direto aos países europeus, ou no secundário, e possuiriam "uma tranche de perdas primárias que seriam financiadas pela EFSF".

As mudanças devem ser implementadas no início de 2012 e as duas opções poderão ser utilizadas simultaneamente pela EFSF. No comunicado, o fundo diz que o volume de alavancagem proporcionado por esses novos instrumentos dependerá de seu uso e das combinações possíveis. A EFSF atualmente possui capacidade para emprestar € 440 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.