Executivo nega debate na Usiminas para emitir ações

O vice-presidente financeiro e de Relações com Investidores da Usiminas, Ronald Seckelmann, declarou na quarta-feira, em conversa com jornalistas, que a possibilidade de aumento de capital, via oferta de ações, não foi discutida pela empresa. "Não existe nada em relação a esse assunto sendo tratado na Usiminas."

FERNANDA GUIMARÃES, Agencia Estado

27 de junho de 2012 | 14h59

Segundo o executivo, os investimentos mais significativos da empresa são em siderurgia e devem ser finalizados este ano, o que irá "despressionar" o balanço da companhia. As aplicações em mineração, por sua vez, ainda não estão consumindo muitos recursos. "Os investimentos em curso em mineração são os da primeira fase, que não são assim tão relevantes."

Seckelmann informou que o projeto para aportes na segunda fase do programa será submetido à aprovação do Conselho de Administração no início de 2013. A meta da Usiminas é alcançar em 2015 a produção 29 milhões de toneladas de minérios, suficientes para a autossuficiência.

Tudo o que sabemos sobre:
Usiminascapital

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.