Expansão da Rio Tinto abre espaço para pólo siderúrgico em MS

A expansão da Rio Tinto no Brasil, projeto que envolve investimentos de 2,15 bilhões de dólares para produzir 12,8 milhões de toneladas de minério de ferro a1885434484em Corumbá (MS), informou o diretor financeiro e de recursos humanos da Rio Tinto Brasil, Aloísio Oliveira. A logística era o maior desafio para a expansão da Rio Tinto no país, segundo Oliveira, mas a evolução do preço do minério e as boas perspectivas de demanda futura, puxada pela China,1734439521 O projeto de Corumbá estava na gaveta desde o início desta década. "Se o preço fosse o de cinco anos atrás não estaríamos aquihoje", disse nesta quarta-feira Oliveira a jornalistas. Na terça-feira, a empresa anunciou investimentos de 2,15 bilhões de dólares para expandir suas atividades em Mato Grosso doSul. [ID:nN29328641] Oliveira afirmou ainda que analisa áreas no Pará e na Bahiaem busca de mais minério e bauxita, e que está aberto a todas as oportunidades que aparecerem. A empresa, segunda maior mineradora do mundo e que busca sevalorizar para evitar uma compra pela BHP, conseguiu este ano ajuste do minério maior do que a Vale, rompendo uma tradição de anos das mineradoras seguirem o mesmo índice do primeiro contratofechado. Ainda em fase de estudo de viabilidade por duas empresas, cujos nomes Oliveira ainda não pode revelar, o pólo siderúrgico de Mato Grosso do Sul poderá ter a adesão de mais três, informou. O volume de aço a ser produzido vai definir o início da segunda fase da expansão da única mina da Rio no país, para 23,2 milhões de toneladas, informou o executivo. A empresa já explorou ouro e níquel no Brasil, mas se desfez das minas entre 2003 e 2004 já que esses metais deixaram de ser foco da companhia. A mina de Corumbá foi adquirida do1701671026 Oliveira informou que os dois investidores internacionais já estão finalizando estudos de viabilidade, e que espera no mínimo produção de 1 milhão de toneladas de aço no local. "O pólo terá muitos investidores e poderá tomar direções diversas (do tipo de produto), mas deve ser mais de 1 milhão de toneladas (por ano)", disse Oliveira, informando que já conversou1668246816 DENTRO DO PRAZO Ao contrário da Vale, que tem atraído parceiros siderúrgicos para dentro do país com a garantia de uma participação minoritária, a Rio Tinto não será sócia dos projetos siderúrgicos, mas1952805601 "Por isso ainda não fechamos 100 por cento das exportações da expansão, porque parte poderá ir para o pólo", explicou, afirmando, no entanto, que alguns contratos já estão garantidos a1885434484 Ele estimou que a licença ambiental prévia para a primeira fase será concedida em agosto, tanto para a mina como para a logística. As licenças de instalação e de operação estão sendo1634170209 Para aumentar em seis vezes as vendas de minério de ferro apartir do Brasil, a Rio Tinto terá que elevar o número de barcaças que transportam a commodity da companhia pelo rio Paraguai até o Uruguai, de onde é exportado, de 134 para cerca de 280. O número de barcos empurradores também terá que crescer e aconstrução deles poderá ser feita no Brasil, se houver espaço nos estaleiros, disse Oliveira, e dependendo do preço. O total a ser investido dentro do Brasil, de acordo com o diretor de operações da Rio Tinto Brasil, José Luiz Carvalho, vaidepender da capacidade dos estaleiros e dos preços que serão conseguidos. Dos 2,15 bilhões de dólares, apenas 10 por cento será investido na mina em Corumbá, informou Carvalho. Cerca de 48 por cento do total, ou 1 bilhão de dólares, será para compra de barcaçase empurradores. Os recursos restantes serão usados na construção de um porto em Albuquerque (MS) e outro no Uruguai, na região de Agraciada, investimentos de 250 e 320 milhões de dólares, respectivamente.542469473custará 450 milhões de dólares. (Edição de Roberto Samora)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.