Expansão da TV paga é reflexo da ofensiva de teles

O avanço da base de assinantes de TV via satélite é reflexo da ofensiva das concessionárias de telefonia, que passaram a investir nesse segmento, concorrendo na linha de frente com as operadoras de TV a cabo. A Oi, por exemplo, lançou o serviço há um ano e, no primeiro trimestre, já havia conquistado 283 mil clientes. Segundo a operadora, desde o início do terceiro trimestre do ano passado, o serviço, denominado Oi-TV, respondeu por cerca de 20% das novas adições do segmento de TV por assinatura, mesmo não operando em todo o País. O pacote é ofertado nos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

KARLA MENDES, Agencia Estado

26 de julho de 2010 | 19h40

A Embratel entrou no mercado de TV paga via satélite em dezembro de 2008 e encerrou o primeiro trimestre com 444,42 mil assinantes, responsáveis por uma receita de R$ 79 milhões, o que representa um crescimento bastante significativo ante os R$ 48 milhões do mesmo período de 2009. No fim de março, a oferta do serviço, comercializado com o nome de Via Embratel, já alcançava 5.144 municípios, segundo a empresa.

A Telefônica, por sua vez, atingiu 487 mil clientes de TV paga no fim de março. O número agrega uma pequena parcela de assinantes de TV MMDS da TVA - a empresa não desmembra os dados. A operadora garantiu, no entanto, que a maior parte da base de clientes é do serviço Telefônica TV Digital, que é o serviço de DTH ofertado pela empresa, lançado em outubro de 2007. A Sky, líder no segmento de DTH, atende 2 milhões de assinantes. As empresas não informaram os números do semestre porque estão em período de silêncio para divulgação dos resultados semestrais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.