Expectativa do consumidor da CNI recua em setembro

Apesar da queda, Confederação Nacional da Indústria considera que o indicador está estabilizado em um patamar elevado e que os consumidores continuam otimistas

Ayr Aliski, da Agência Estado,

28 de setembro de 2012 | 12h05

BRASÍLIA - O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) de setembro alcançou 113,2 pontos, informou nesta sexta-feira a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Houve, portanto, uma leve queda em relação a agosto, quando o índice foi de 113,4 pontos. O resultado deste mês, entretanto, representa alta em relação a setembro do ano passado, quando o Inec atingiu 112,4 pontos. "O indicador está estabilizado em um patamar elevado. Isso aponta que os consumidores continuam otimistas. Na comparação com setembro de 2011, o Inec teve alta de 0,7%", argumenta o economista da CNI Danilo Garcia.

O Inec é composto por seis indicadores: expectativa de inflação, expectativa de desemprego e expectativa de renda pessoal, além de avaliação sobre situação financeira, endividamento e compras de bens de maior valor. Nesse conjunto, três itens apresentaram queda e os três demais tiveram alta de agosto para setembro.

O indicador de endividamento apresentou a maior retração, registrando 103,9 pontos em setembro, ante 107,9 pontos no mês passado. Isso significa que o nível das dívidas das famílias cresceu no período. A maior alta foi apurada no indicador de expectativa de renda pessoal, que marcou 114,6 pontos em setembro, ante 111,9 pontos em agosto.

A CNI destaca também que a população brasileira está menos otimista quando o assunto é mercado de trabalho. Isso porque o indicador de expectativa de desemprego caiu para 124,7 pontos em setembro, ante 127,7 pontos em agosto. "Essa queda no indicador significa que a expectativa de aumento do desemprego voltou a crescer, revertendo os resultados de agosto e julho", cita a confederação, na publicação de divulgação do estudo.

A indicador de expectativa de inflação também piorou, marcando 107,2 pontos em setembro, ante 109,5 pontos em agosto. "Essa queda no indicador, pelo quarto mês consecutivo, aponta maior pessimismo com relação à evolução dos preços nos próximos seis meses", destaca a CNI. Parcela de 62% do público consultado respondeu que a inflação "vai aumentar muito" ou "vai aumentar".

O indicador sobre compras de bens de maior valor melhorou, atingindo 114,2 pontos este mês, ante 112,1 pontos em agosto. O indicador que mede a percepção dos brasileiros em relação à situação financeira teve leve alta, marcando 115,0 pontos em setembro, ante 114,9 pontos em agosto.

O Inec é elaborado pela CNI a partir de pesquisa de opinião pública de abrangência nacional conduzida pelo Ibope. Foram ouvidas 2.002 pessoas, com coleta de informações entre os dias 17 e 21 setembro. O estudo é divulgado mensalmente pela confederação.

Tudo o que sabemos sobre:
consumidorexpectativaCNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.