Expointer: ovinos são destaque nos negócios com animais

Porto Alegre, 6 - Os ovinos foram destaque nos negócios realizados no Parque de Exposições Assis Brasil durante a 27ª Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer), que terminou ontem (5) em Esteio (RS). O balanço parcial do evento registra vendas de R$ 925 mil entre as raças de ovinos que participaram da mostra, ante um total de R$ 3 milhões nos negócios com animais, 5% abaixo do desempenho de 2003. Os eqüinos movimentaram R$ 873 mil em negócios realizados dentro do parque, além de R$ 1,4 milhão em três leilões paralelos à Expointer, fora do local do evento. Somando-se estes remates - que não integram a programação oficial da feira -, a comercialização geral de animais durante o período da mostra atingiu R$ 4,7 milhões. A venda de bovinos de corte somou R$ 859 mil nos nove dias de funcionamento da feira. Os dados finais de comercialização de animais devem ser computados na quarta-feira. Em relação à venda de máquinas agrícolas, que ganharam mais espaço em 2004, os negócios somaram R$ 218 milhões, ante R$ 216 milhões de 2003. O Banco do Brasil acolheu propostas de financiamento de mais de R$ 100 milhões, 4,6% acima do resultado de 2003. Os pedidos de financiamento foram, principalmente, para negócios com plantadeiras (16% do total) e tratores (9%). Para o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), Paulo Afonso Schwab, o desempenho da ovinocultura na Expointer e a procura por reprodutores indicam que os produtores estão tendo retorno com a atividade. Depois de um período de retração, a ovinocultura voltou a crescer e tem sido destaque nas últimas edições da Expointer, lembrou o dirigente. A demanda aquecida e a recuperação dos preços da carne, ao lado do mercado de lã, explicam o interesse dos produtores em renovar o rebanho, analisou Schwab. Os criadores avaliam que o segmento tem espaço para crescer, já que o consumo per capita de carne ovina não chega a cem gramas por habitante ao ano no Brasil. O rebanho brasileiro tem cerca de 15 milhões de cabeças, sendo quase 4 milhões do Rio Grande do Sul. O Estado já teve, no passado, 13 milhões de animais. Para garantir a continuidade da renovação do rebanho, os produtores irão reivindicar recursos ao Ministério da Agricultura para a retenção de matrizes, informou Schwab. (segue)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.