Exportação da Braskem cai 9,92% em março, diz Secex

As vendas externas da petroquímica Braskem totalizaram US$ 175,548 milhões em março, considerando o preço FOB (com a entrega às custas do vendedor), o que indica um recuo de 9,92% em relação a igual período do ano passado. Os dados foram divulgados hoje pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agencia Estado

25 de abril de 2011 | 14h53

A queda nas exportações da petroquímica no mês passado era esperada, já que a companhia teve o volume de negócios afetado pela parada das operações no polo de Camaçari (BA), em decorrência do apagão que atingiu a região Nordeste no início de fevereiro. Como a operação no local levou quase 20 dias para ser restabelecida plenamente, os estoques da Braskem encolheram e, com isso, a companhia foi obrigada a reduzir o embarque de produtos para clientes estrangeiros.

Outro efeito importante para as exportações foi a ocorrência do carnaval em março deste ano, ao contrário do que ocorreu em 2010, quando a festividade foi em fevereiro. No acumulado do primeiro trimestre de 2011, as exportações da Braskem alcançaram US$ 541,459 milhões, uma queda de 4,59% em relação ao mesmo período do ano passado. Com isso, a petroquímica encerrou o trimestre na condição de décima maior exportadora do País, atrás de Vale, Petrobras, Samarco, Bunge, Embraer, Cargill, JBS, Shell e Sadia.

Tudo o que sabemos sobre:
petroquímicaBraskemexportaçãoSecex

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.