Exportação de carne suína brasileira cresce 34% em receita

São Paulo, 21 - Apesar do embargo russo ter colocado obstáculos a expansão das exportações brasileiras de carne suína, a receita obtida com as exportações do setor cresceu 34% no período de janeiro a novembro de 2004 em relação a igual período de 2003. O resultado financeiro ficou em US$ 688 milhões ante US$ 512,47 milhões em 2003, segundo dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs). O crescimento na receita deveu-se basicamente a elevação do preço médio da carne suína em 35,70% no período, de US$ 1.338 por tonelada em novembro de 2003 para US$ 1.833 em novembro de 2004. Isto porque, em volume, as vendas ficaram praticamente estáveis no período, com ligeiro declínio. De janeiro a novembro, o volume exportado ficou 459,154 mil toneladas ante 464,103 mil toneladas em igual período no ano anterior. Para o fechamento do ano, as estimativas são de volume de 500 mil toneladas, um pouco acima do resultado de 490 mil toneladas de 2003. Mas com uma receita cambial de US$ 737 milhões, superior em 35% aos US$ 546,5 milhões do ano anterior. Segundo o presidente da entidade, Pedro de Camargo Neto, o maior crescimento foi registrado nas vendas para a Ucrânia, que somaram 30.816 toneladas ante apenas 96 toneladas no ano anterior. Os principais destinos foram a Rússia, com 263,5 mil toneladas, seguida de longe por Hong Kong, com 50 mil t e em terceiro a Ucrânia, com 30,8 mil t. Rússia e Hong Kong reduziram suas compras em relação ao mesmo período de 2003, quando adquiriram, respectivamente, 301,4 mil t e 53 mil t de carne suína brasileira. Camargo ressalta a ampliação dos embarques para a África do Sul, que cresceram 71% na comparação com o mesmo período em 2003 e somaram 11.408 toneladas. No caso da Rússia, Camargo explica que a redução de 12,5% foi uma conseqüência da implantação do sistema de cotas e dos dois embargos - injustificados - por parte do governo russo. Segundo ele, estes eventos serviram para reforçar a necessidade da diversificação dos mercados. Em novembro de 2004, 25 novos países compraram carne brasileira em relação ao mesmo período de 2003, ampliando para 84 mercados importadores do produto nacional.

Agencia Estado,

21 de dezembro de 2004 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.